Casa Máy > Diário em Off - Posts > Sem categoria > Inconvênios – O Brasil não anima ninguém #2

< voltar

Inconvênios – O Brasil não anima ninguém #2

Postado às 15:14 do dia 26/08/12

– Tá sabendo que vão sair?
– Não, não é possível. Falei ontem com meu cunhado e ele não me disse nada.
– Ele não te falaria nada, Gustavo. Mas é fonte garantida. Todos vão se descredenciar ao mesmo tempo. Daí a Associação é que vai negociar o repasse da categoria com o Convênio. Tiro certo, não tem erro.
– Anestesista sempre vai na veia, né?
– E vocês? R$ 48,00 a consulta é dose, hein?
– Era 48… Reduziram 20%…
– Mais um motivo; vocês não conseguem fazer como eles?
– Pra mim não é interessante, Gustavo. Se eu fosse viver de consulta eu já tinha fechado o consultório. Mas preciso do Convênio pras cirurgias, você sabe.
– Sei, comissão das próteses e dos pinos. Vocês, ortopedistas…
– Não me critique; ou é isso ou eu já tava com as perna quebrada. E sua clínica, vai bem?
– Difícil, cara. Imagina que agora o Conselho não me deixa contratar sem registro. Sabe quanto eu ganho do Convênio por sessão?
– Bem, se a consulta o repasse é 48, a sessão deve ficar uns 18, 20…
– 3 reais.
– Ah, cê tá de sacanagem, Gustavo! Ainda tá assim? Pensei que vocês já tinham aumentado.
– Não, o que eu tava fazendo é contratar quarto-anista. Agora não pode, só fisioterapeuta formado.
– E com registro?
– Com registro em carteira.
– O que você pode fazer?
– Já fiz: coloquei pilates na clínica. O paciente da fisio sai e a gente manda ele pro pilates. 70 a hora. É o que tá colocando as finanças no lugar.
– É, não tá fácil pra ninguém.

No noticiário das oito:
“Acompanhe agora a reportagem com o especialista em finanças pessoais Silvio Duarte. Ele responderá a uma dúvida que muitas famílias brasileiras têm: como se proteger com gastos de saúde.”
“Silvia tem 45 anos. Divorciada há 3 anos, ainda possui um plano de saúde em conjunto com o ex-marido, onde estão incluídos também seus dois filhos de 12 e 9 anos de idade. Silvia quer gastar menos com o plano.”
“– A dúvida que eu tenho é se valeria a pena continuar pagando um plano de saúde ou se eu poderia fazer uma poupança para internações e exames caros. O que eu vejo é que meu plano aumenta todos os anos e cada vez tem menos médico aceitando consulta pelo convênio. Se eu precisar de uma cirurgia, que valor eu teria que ter na poupança?”

– Ivanir, por email, ao seu irmão Eduardo, que mora nos Estados Unidos:
Oi, Duda, td bem?
Entao, tive ontem no escritorio do advogado e parece que so com recurso mesmo. O plano eh obrigado pagar a cirurgia da mae. Mesmo o medico dela nao sendo do convenio, ele tem que pagar. O advogado me explicou que o hospital emite o comprovante das despesas com internacao, material e equipamento, mas todo o honorario da equipe fica de fora. Os honorarios ficariam em R$ 5 mil. O anestesista o convenio reembolsa.
E ai?
– Eduardo, por email, respondendo à irmã:
Mas pq nao reembolsa os 5 mil tb?
Bj
– Ivanir, em resposta ao irmão:
Nao eh que nao reembosa. Ate reembolsa, mas o medico so faz a cirurgia com particular. A mae nao quer operar com outro, nao confia. E tb nao acharemos nenhum outro. Ja fomos em quatro e ninguem opera pelo plano. A gente so paga o advogado depois que vier o reembolso.

– Tá em forma, hein, Fred?! Tá com tempo livre, acho que tô te pagando bem demais. (risos cordiais)
– Conselheiro, quem tem handicap 8 aqui é o senhor. Eu só estou com sorte. Hoje nenhum bunker me segura.
O caddie recomendava um novo ferro ao Conselheiro, que aceitava, bem humorado, dirigindo-se ao advogado Fred:
– Eu dei uma lida nos resultados, estes processos de reembolso estão aumentando, Fred. Aumentaram 35% em um ano.
– Não me culpe, eu só trabalho com a lei.
O conselheiro soltou uma risada irônica, que atrapalhou sua swing. Fred sentiu a boa sorte ameaçada por um súbito mau humor do conselheiro. Lembrou:
– Mas pense que vocês poderiam ter que pagar tudo, inclusive os honorários. No final, vocês não estão gastando, estão economizando.
– De qualquer forma, vou diminuir sua comissão pra 2% se esses processos de reembolso não diminuírem 20% em 18 meses.
Batendo um slice verdadeiramente infeliz, o advogado pensou consigo: – Dois por cento… como se eu já não lhe fizesse um favor. O Brasil não anima ninguém.

escrito por Mayra Corrêa e Castro ® 2012
baseado em inacreditáveis fatos reais
da série O Brasil Não Anima Ninguém

– Posted using BlogPress from my iPad

Posts Relacionados

Comentários

Galeria de Fotos do Pinterest

Assinar Newsletter