Enfim, um sim.

Postado às 14:05 do dia 01/06/12

Miniconto escrito por Mayra Corrêa e Castro

 

Sufoquei ante a imperiosa necessidade de discursar em público, meu maior medo. Um tapa nas costas e fi-lo pois sem um sim não há matrimônio.

 

Foi interessante participar deste concurso de minicontos com 140 caracteres. Para escrever o miniconto, parti da ideia original abaixo, que já era, por si, bastante enxuta. Veja o texto inicial que acabou sendo reduzido aos 140 caracteres:

“Sempre que me pediam para falar em público, era um tormento. Ficava vermelho, rouco, gago e engasgado, até ficar afônico. Mas naquele dia eu deveria discursar. Por mais que tivesse tentado, não havia nenhum modo de fugir àquele discurso, o mais importante de minha vida e que a definiria irremediavelmente a partir dali. Não pude convencer ninguém de que seria desnecessário discursar. Eu cria, com toda a razão, que minha presença já seria suficiente para selar meu comprometimento com a causa daquele discurso. “Em vão”, argumentaram: “Esqueça sua campanha, Horácio. Ou você fala o ‘sim’, ou o padre não sela seu matrimônio.” Convencido da absoluta necessidade de dizê-lo, fi-lo: mas com tanto nervosismo que engoli cada uma das palavras. No fim, creio que fui entendido por todos, posto que ganhei um beijo da noiva.”

 

Miniconto participante da antologia Geração em 140 Caracteres, ebook editado pela Geração Editorial.

Posts Relacionados

Comentários

Galeria de Fotos do Pinterest

Assinar Newsletter